PIRUÇAS

Abril 22 2007

1922

 

3 de Janeiro - Adiamento das eleições de 8 para 29 de Janeiro. Gomes da Costa acusa o governo de ter faltado ao respeito ao exército.

21 de Janeiro - Formação de uma lista de Gonjunção » entre liberais, reconstituintes, socialistas, reformistas, sidonistas e independentes, unidos para lutarem unidos contra o partido democrático.

29 de Janeiro - Eleições legislativas com vitória do Partido Democrático.

6 de Fevereiro - Governo democrático de António Maria da Silva. A Polícia de Segurança do Estado passa a designar-se Polícia de Defesa Social. O Exército continua a cercar Lisboa.

18 de Fevereiro - Tentativa de golpe de estado radical, outubrista », Governo instala-se em Caxias e o presidente em Cascais.

2 de Março - As forças da GNR são reduzidas. O corpo de marinheiros é transferido para Vila Franca de Xira.

13 de Março - As forças da GNR são novamente reduzidos ficando sem artilharia e metralhadoras. As forças são distribuídas pela província transformando-se em guarda territorial.

30 de Março - Partida de Gago Coutinho e Sacadura Cabral para a travessia aérea do Atlântico.

17 de Abril - Assinatura do Pacto de Paris entre monárquicos liberais e legitimistas . D. Duarte Nuno reconhece D. Manuel II, e este reconheceria D. Duarte como seu herdeiro.

19 de Abril - Gago Coutinho e Sacadura Cabral chegam à noite aos rochedos de S. Pedro e S. Paulo.

28 de Abril - Com a promulgação da Lei do garrote são suspensas novas entradas na função pública.

29-30 de Abril - Congresso do Centro Católico com participação activa de Salazar.

5 de Maio - Os Integralistas Lusitanos suspendem a sua actividade política, em ruptura com o Pacto de Paris.

5 de Junho - Gago Coutinho e Sacadura Cabral chegam ao Recife.

17 de Junho - Gago Coutinho e Sacadura Cabral chegam ao Rio de Janeiro.

5 de Agosto - Agitação popular contra as novas medidas do pão, com assaltos às padarias. 

15 de Agosto - Revisão das medidas de produção de pão. Cria-se um pão de terceira.

7 de Setembro - Início das festas de comemoração do primeiro centenário da independência do Brasil.

8 de Setembro - Assassinato de Ségio Príncipe, dirigente da Confederação Patronal Portuguesa e da Associação Comercial dos Lojistas de Lisboa, considerado defensor de uma solução radical de direita para o problema político português.

1 de Outubro -  Realiza-se o 3.º Congresso Operário Nacional, na Covilhã.

 Outubro - Lançamento à água do contra-torpedeiro Tâmega, construído no Arsenal da Marinha

3 de Dezembro - Comício de protesto, no Parque Eduardo VII, contra a nova lei do inquilinato, promovido pela União dos Sindicatos.

 

 

Escolhi esta particular resenha histórica, para bem situar, no tempo,  a realização do  CONGRESSO NACIONAL MUNICIPALISTA DE 1922, a que se reporta um interessante volume com os "preliminares, teses, actas das sessões, congressos provinciais, documentos e apreciações da imprensa". Foram editados 900 exemplares numerados e eu tenho a sorte de possuir um, assinado pelo Presidente da Comissão Organizadora, João Carlos Alberto da Costa Gomes, cujo rico currículo é encimado assim: "Comercialista, com o Curso superior de comércio pelo Instituto Superior de Comércio de Lisboa".

Da revisitação que ando agora a fazer aos becos e avenidas da nossa História, destaco, por me parecerem interessantes, estes pequenos comentários, assinados por Magalhães Lima:

...

"A emancipação dos municípios frizou-o admiravelmente o infatigável secretário do Congresso, Eloy do Amaral- tem de ser, mais tarde ou mais cedo, um facto,  e ela só pode trazer para a vida do povo benéficos resultados. O municipalismo bem compreendido é absolutamente isento de paixões partidárias; pode e deve vir a ser um dos mais valiosos elementos de bem-estar e desenvolvimento material do país, principalmente se ela conseguir libertar-se por completo do centralismo absorvente que sempre a tem dominado e tanto tem prejudicado a vida regional.

Combater o centralismo, o mesmo é que combater a tirania da autoridade, o abuso, o arbítrio, a iniquidade.

...

Centralizar é retrogradar. Descentralizar é emancipar. Quereis uma eleição livre? -Descentralizai. Quereis um governo das competências? -Descentralizai. Quereis o povo na posse dos seus destinos? -Descentralizai.

...

Quais são as bases em que deve assentar a autonomia e descentralização administrativa?

 -Proclamaram-as altivamente no Congresso os srs. Costa Gomes e Fernandes Agudo:

Extinção dos lugares de governadores civis, de administradores de concelho e de regedores de freguesia;

Os municípios, provendo à Instrução do povo;

O deputado representante do concelho que o eleger."

 

Gostei, mais uma vez, de ler o que li e de registar aqui, no PIRUÇAS, este pedaço  empolgante da História de Portugal.

publicado por poleao às 15:23

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



TÃO LONGE DO MUNDO E TÃO PERTO DE TUDO
mais sobre mim
Abril 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11

17
20
21

25
27

29
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO