PIRUÇAS

Maio 15 2009

Em carta muito AZUL, um amigo do norte enviou-me, hoje, um texto muito curioso, da autoria do transmontano Guerra Junqueiro, retirado de uma das suas mais conhecidas e apreciadas obras literárias -Pátria, escrito em 1896.

 

Desse texto, escrito, há 113 anos, sobre o quadro político que então se vivia em Portugal, transcrevo apenas o último parágrafo, cujo sentido me parece ter, hoje por hoje, uma gritante e triste actualidade:

"Dois partidos (...), sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes e corruptos (...) vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se amalgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, - de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar (...)"

 

 

publicado por poleao às 19:16

TÃO LONGE DO MUNDO E TÃO PERTO DE TUDO
mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
16

17
18
19
20
21

24
25
26
28
30

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO