PIRUÇAS

Março 17 2007



O primeiro-ministro, José Sócrates, juntou-se esta sexta-feira ao ministro da Saúde, Correia de Campos, para apresentar os resultados do Serviço Nacional de Saúde, em 2006. O ano passado terminou com várias manifestações, mas a avaliação é a melhor dos últimos trinta anos. 

O primeiro-ministro manifestou total apoio ao ministro da Saúde e lembrou que em trinta anos de democracia é a primeira vez que o orçamento da saúde é cumprido.

Com as medidas aplicadas, o Ministério da Saúde evitou entre 2005 e 2006 uma despesa de 387 milhões de euros.

Está tudo dito. O campos cobrador de impostos vai ter direito a novo louvor, no próximo Natal.  

 



 

publicado por poleao às 16:09

Março 17 2007

 

 

  

 

O futuro aeroporto da Ota terá uma validade de 13 anos, muito abaixo dos 50 previstos pelo Governo, segundo um relatório da Navegação Aérea de Portugal NAV ), revela hoje o semanário Sol. O documento, a que o jornal teve acesso, dá conta que o aeroporto da Ota atingirá a capacidade máxima em 2030, ou seja, estará saturado em apenas 13 anos, já que a inauguração está prevista para 2017.

A luta, isto é, a trapalhada, isto é, a confusão, isto é, a caLINada continua.

Até quando?

publicado por poleao às 13:17

Março 15 2007

Curiosidades sobre blogs, hoje divulgadas pelos jornais:

«Are blogs the new resumes?» (São os blogues os novos CV?), questionou recentemente Daniel Scocco , empresário brasileiro da área da Internet e novos media, no seu blogue Innovation Zen.

Daniel Scocco levantou esta questão depois de ler a história de Rod Boothby , que conseguiu um novo emprego em resultado da sua actividade como bloguer .

No seu blogue Innovation Creators , Rod Boothby conclui que contratar um bloguer envolve menor risco, porque o empregador tem uma melhor ideia de como o novo trabalhador vai desempenhar as suas funções.

Contactados pela Lusa, os bloguers José Carlos Abrantes e Leonel Vicente afirmaram que também em Portugal já há exemplos de contratação de autores de blogues para novas funções, em resultado da visibilidade que os seus posts tiveram.

«É o efeito da maior exposição», disse José Carlos Abrantes, organizador do ciclo de debates Falar de blogs, que terá hoje uma nova sessão em Lisboa.

«O blogue acaba por ser uma montra onde as pessoas têm a possibilidade de mostrar as suas capacidades», disse Leonel Vicente, realçando que o blogue é normalmente actualizado com regularidade, enquanto o CV «é estático».

«Os blogues também servem, de alguma forma, para transmitir uma imagem cuidada, mas é difícil manter uma aparência diferente do que a pessoa é na realidade», salientou.

Maria João Nogueira, do Sapo, o principal serviço de criação e alojamento de blogues em Portugal, disse à Lusa que esta plataforma já tem 112 mil blogues.

«Com base no ritmo do último mês, a média de criação é de cerca de 300 blogues por dia», disse Maria João Nogueira, acrescentando que o ritmo diário de novos posts também tem aumentado, situando-se actualmente em cerca de dois mil.

publicado por poleao às 14:47

Março 12 2007


Excertos da entrevista a Pedro Nunes, Bastonário da Ordem dos Médicos, publicada hoje no CM: 

Pedro Nunes, Bastonário da Ordem dos Médicos, acusa o ministro da Saúde de ser desleal com os médicos. Ataca Correia de Campos pelas trapalhadas no fecho de Urgências e maternidades e afirma que o melhor seria o ministro dar algumas terras a Espanha para os portugueses terem direito aos tratamentos que lhes são negados em Portugal. Optimista, afirma que dentro de dez anos acaba a falta de médicos.

Correio da Manhã – O ministro Correia de Campos anda a fazer política baixa com os médicos?

Pedro Nunes – Anda a fazer política desleal com os médicos porque ele sabe que a Ordem dos Médicos sofreu uma alteração significativa com este mandato. A Ordem aposta na colaboração técnica com o Governo que estiver, qualquer Governo. 
 
– A Ordem apoiou o fecho das maternidades.

– Sim, é verdade. 

– O que é que correu mal?

– É aí que eu falo em deslealdade. Foram fechadas maternidades para concentrar meios. E o que é que aconteceu? Fechou-se a maternidade de Mirandela, fechou-se a maternidade da Régua, as grávidas são transferidas para Vila Real e chega-se a Vila Real e encontra-se uma equipa abaixo do mínimo definido. Chega-se a Setúbal e há uma equipa abaixo do mínimo.

– Ou envia-se doentes para o estrangeiro, como no caso das grávidas de Elvas...

– Claro. Imagine se todos os ministros da União Europeia tivessem a lógica deste ministro. Não temos problema nenhum, pagamos ali ao país do lado e as mulheres vão lá ter filhos. Claro que ao fim de algum tempo não tínhamos serviços e os doentes iam ser tratados ao estrangeiro. Em última análise o Governo português pode pedir aos espanhóis que considerem que o nosso rei D. Dinis era um atrasado mental, revoga-se o Tratado de Alcanizes, que definiu as fronteiras com Espanha, e dá-se aos espanhóis uma série de terras, como Trás-os-Montes e a Beira Interior. Estamos perto de algumas cidades espanholas e resolve-se tudo. Ora a obrigação do ministro da Saúde português é garantir aos portugueses tratamentos no seu território.

– O ministro não cumpriu os compromissos?

– Não cumpriu. A Ordem dos Médicos acabou por dar cobertura técnica ao Ministério para fazer uma reforma e o ministro não cumpriu o acordo que tinha feito connosco e os compromissos assumidos publicamente. É aqui que falo em deslealdade.

– A deslealdade de que tem vindo a falar aconteceu só no caso das maternidades?

– Não. Deixe-me dar outro exemplo. Na matéria das Urgências o ministro nomeou uma comissão, não pediu opinião à Ordem, nem sequer pediu que a Ordem contribuísse para a nomeação dessa comissão. Mas é indiscutível que é formada por médicos de qualidade, que fizeram um trabalho competente e a Ordem obviamente apoiou-os. 

– Uma trapalhada?

Uma trapalhada feita com o objectivo de encerrar os SAP e assim poupar algum dinheiro, colocando os médicos da comissão numa posição extremamente difícil, porque acabaram por ser eles o alvo das críticas, justas e perfeitamente lícitas, das populações. Não foi o ministro, que estava a encerrar o que ninguém lhe tinha dito para encerrar. O ministro usou a comissão como capa, como argumento para fechar serviços, que de facto não são de Urgência mas que enquanto não forem criados os tais serviços de Urgência que a comissão propôs não podem ser encerrados.

publicado por poleao às 19:46

Março 12 2007

HÁ COISAS FANTÁSTICAS, NÃO HÁ??????

Excertos de um artigo publicado hoje no JN: 


O primeiro-ministro assinalou a tomada de posse, faz hoje dois anos, anunciando a venda de medicamentos não sujeitos a receita médica MNSRM ) fora das farmácias, medida que o ministro da Saúde tem enaltecido, mas que em tempos considerara sem "vantagens para a população". 

Mas, apesar de o anúncio de Sócrates ter forçado o actual Ministério da Saúde MS ) a fazer desta medida uma das suas bandeiras, o ministro Correia de Campos nem sempre defendeu a venda livre de MNSRM .

Em 2002, depois de uma breve passagem pelo Governo de António Guterres, no qual assumiu a pasta da Saúde, Correia de Campos escreveu no livro "Confissões políticas da Saúde" que não tinha "a intenção de criar farmácias em supermercados, fora das condições previstas na lei, ou de liberalizar a venda dos medicamentos não prescritos". Não por ser contra, mas "por entender ser essa uma guerra secundária, que desgastaria o MS sem grandes vantagens para a população, a qual se sente relativamente bem servida pelas actuais farmácias de venda a público", escreveu Correia de Campos.

No mesmo livro, adiantava não pretender "desmantelar o monopólio profissional na propriedade de farmácia, por entender que é assim que as coisas se passam em muitos outros países da Europa e nada garantir que a liberalização pudesse trazer melhorias ao serviço de venda a público".

Contudo, a 26 de Maio de 2006, o primeiro-ministro anunciou liberalização da propriedade da farmácia, na sequência de uma proposta da Autoridade da Concorrência. Esta defendia o fim da exclusividade da propriedade para farmacêuticos e de limites demográficos e geográficos à instalação de farmácias.

publicado por poleao às 17:06

Março 10 2007


 


Chamei o Velho do Restelo e perguntei-lhe se achava possível
a História repetir-se.
Ele veio e olhou Portugal de lá, da beira do Tejo...
Suspirou e partiu... deixando apenas um velho chapéu...



"Ó glória de mandar! Ó vã cobiça
Desta vaidade, a quem chamamos Fama!

(...)

Luís de Camões, "Os Lusíadas", Canto IV, 94-97
publicado por poleao às 16:07

Março 06 2007

Governo promete aumentar vigilância da GNR nas estradas secundárias
06.03.2007 - 14h03 Lusa



Extinguir a BT não significa extinguir a especialidade do trânsito na GNR, garantiu hoje em Leiria o subsecretário de Estado da Administração Interna. Rocha Andrade adiantou que esta medida vai levar a um "reforço da vigilância" nas estradas secundárias para fazer face à sinistralidade rodoviária.

O fim da BT como "estrutura autónoma" dentro da GNR vai colocar os meios existentes ao serviço de cada comando distrital que os irá gerir "de acordo com as necessidades do território".

Em cada distrito, "todo o dispositivo da Guarda fica na disponibilidade do comandante distrital", permitindo soluções de vigilância mais eficazes de algumas vias onde sucedem mais acidentes.

"Não é uma questão de despesa, mas sim operacional, que justifica a integração dos meios da BT na GNR", explicou Rocha Andrade.

Neste último parágrafo, o subconsciente do governante traí-o. Ao falar na despesa e ao desconhecer que a BT é uma Unidade da GNR desde 1970.

publicado por poleao às 16:39

Março 04 2007

Ou muito me engano, ou o estágio do Paulo está a chegar ao fim. E obterá, certamente, nota fraca, a avaliar pelos trabalhos académicos que apresentou, até agora.

É claro que vai "levantar a cabeça" e continuar a lutar pelos seus "objectivos".

Pois vai!

publicado por poleao às 23:20

Março 01 2007

Vila do Conde mantém urgências após acordo com ministro

O presidente da Câmara de Vila do Conde, Mário de Almeida, assinou hoje com o ministro da Saúde um protocolo com vista à reestruturação das urgências na região, disse à Lusa o autarca.

Quem chora...

O resto? Bem, o resto é... conversa!!!

publicado por poleao às 19:24

Março 01 2007

A "comissão liquidatária", insensível a tudo e a todos, surda e cega face aos clamores que se espalham pelos ventos, prossegue a sua destruidora missão, convencida de que só liquidando a melhor parte do nosso património histórico e vivo conseguirá os fundos necessários para apresentar boas contas na UE. Ontem, as maternidades, os hospitais, os centros de saúde, as escolas... Hoje, as Forças e Serviços de Segurança. E amanhã? Talvez os saldos, ou as promoções, do que restar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por poleao às 18:17

TÃO LONGE DO MUNDO E TÃO PERTO DE TUDO
mais sobre mim
Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
14
16

18
20
21
24

25
26


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO