PIRUÇAS

Janeiro 11 2007

Pelo andar da carruagem -e a viagem ainda agora começou- esta "morgadinha" não é, digo eu, a "dos canaviais".

É minha convicção que a senhora vai mesmo obrigar o apito a apitar. Caso contrário, seriam os donos do jogo a levantar bem alto, contra ela, o cartão vermelho

Está à nora! Tem que tirar água!

publicado por poleao às 17:20

Janeiro 10 2007

A passo, devagarinho, como é próprio de pessoas já com uma certa idade, o PIRUÇAS cá chegou, a 2007 (já lá vão nove dias!), mas com muitas mazelas, incertezas na alma e queixas de tudo e de todos.

Alto lá, porque estou a exagerar . A bem dizer, nem de tudo me queixo, nem de todos recebi maldosas afrontas.

Mas não esqueço, naturalmente, o diabólico comportamento que o cobrador de impostos Campos teve no ano passado, nem as gélidas e insensíveis decisões do tesoureiro Teixeira, sempre a facturar à custa da classe média e para gáudio dos Belmiros e dos Espiritos Santos -uns cada vez menos e mais ricos, e os outros cada vez mais e com mais dificuldades em governar a vida. 

Nos pratos da balança social, pesam-se as fábricas e empresas a encerrar e os investimentos em novas iniciativas. O saldo é sempre negativo. O prato dos despedimentos vai ao chão, num repente. E o PM , hábil como nenhum, grita quando tem que gritar (já ninguém sabe se grita mais alto do que o sr Coelho!), encena primorosamente as suas aparições públicas e tapa a boca, num ápice, ao opositor (?) Mendes e a quem o acompanha, neste carnaval cinzento em que nos metemos.

Valha-nos o puto Cristiano e as sua diabruras, os dolares do rei Figo e as apitadelas do apito dourado. E valha-nos a carolice da dona Carolina, o ressurgimento -em boa hora, digo eu- do velho Atlético Clube de Portugal, a trazer-me à memória boas tardes de bola na bonita Tapadinha e as deliciosas manhãs, na SIC, onde os tertulianos residentes passam a pente fino as bizarrias dos colunáveis.

Ora, quem tem tudo isto -e muito mais, desta espécie e género- não tem o direito de olhar de lado para os Campos, para os Teixeiras , para os cabos Costas, afinal, os homens que se sacrificam para que nós tenhamos tudo de bom, na vida.

O pior são os tios Anacletos e os compadres alentejanos que vivem nas nossas aldeias, com uma sopa escaldada e um bocado de pão duro, salgado com duas azeitonas.

Dizem os sábios que 2007 ainda não vai ser o ano da convergência e que, por isso, vamos continuar a distanciar-nos dos outros parceiros europeus. Seria bom que a senhora ministra da educação fosse, por exemplo, ao interior norte do país, ensinar, em linguagem TLEBES (não sei, nem me interessa saber, se é assim que se escreve!), ou noutra qualquer, o que é isso da convergência. Mas se não quiser ir tão longe, senhora DOUTORA,  desça do seu gabinete à rua e faça  a pergunta ao primeiro urbano que encontrar. Boa sorte.

O caminho é longo e cheio de curvas apertadas. Quem virá encurtar a distância?

publicado por poleao às 17:57

Janeiro 08 2007

Nativos de Leão são os que conduzem com mais segurança

"Os nativos de Leão conduzem com mais segurança, sendo, inclusivamente considerados uns «ases ao volante», enquanto os de Balança são uns «aselhas», segundo um estudo exaustivo realizado por uma seguradora em Toronto, informa hoje o Diário de Notícias".

Eu já sabia, mas nunca fiz publicidade disso...


publicado por poleao às 15:38

TÃO LONGE DO MUNDO E TÃO PERTO DE TUDO
mais sobre mim
Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

17
19
20

25
26

28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO