PIRUÇAS

Dezembro 10 2004
O presidente da junta socialista falou e formalizou o que prometera aos seus correligionários: dissolução da AR e consequente queda do governo laranja. Até 20 de Fevereiro próximo, data das eleições requeridas pelo partido socialista, o País vai entrar em campanha, não de trabalho, mas de zaragatas verbais, improdutivas, por isso, para o bem estar e felicidade dos portugueses. Naturalmente que o presidente não justificou nada, porque, em boa verdade, nada podia justificar. O seu propósito era só um, face ao sentido das "sondagens", todos os dias repetidas pelos os OCS agenciados pelo partido socialista: abrir caminho à victória "anunciada" do partido da rosa e cortar o passo a um governo de quatro meses, bombardeado incessantemente por quem recebeu a missão de o bombardear. Enfim, se tudo correr como esperam os fazedores de funarais, lá para meados do próximo ano vamos ter, naturalmente, substanciais aumentos salariais na função pública e nas empresas privadas, com efeitos retroactivos, sem dúvida. Do mal, o menos.
publicado por poleao às 20:52

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



TÃO LONGE DO MUNDO E TÃO PERTO DE TUDO
mais sobre mim
Dezembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO