PIRUÇAS

Junho 21 2005

Andam, agora, a circular pela net -tanto no espaço bloguista, como no correio electrónico- textos e mensagens, cujos conteúdos pretendem (uns encapotadamente, outros às claras) corar a roupa, que tem vindo a ser lavada, nos últimos dias, sobre o arrastão de Carcavelos e a insegurança reinante, por exemplo, na linha da Sintra. Na interpretação freudiana das agências patrocinadoras deste "serviço", em nenhum daqueles casos há razão para alarme e o alarme que há -muito pequenino!- deve-se apenas à exagerada exposição que, a tudo, tem dado a comunicação social.


 Eu aceito, naturalmente, que alguma CS, na ânsia de vender papel, ou de ganhar audiências, exagere nas tintas, mas pretender passar a mensagem de que não houve nada, ou de que houve muito pouco, é outro exagero -igual, ou maior, do que aquele, porque parte do princípio de que os destinatários são parvos.


No meio é que está a virtude. Também aqui, a verdade está no meio, longe de radicalismos hipócritas e de falsos moralismos.

publicado por poleao às 22:54

É tal e qual como dizes, Beirão. Outro.poleao
</a>
(mailto:poleao@sapo.pt)
Anónimo a 22 de Junho de 2005 às 15:53

Já reparaste que para se chegar à virtude do meio (verdade) é preciso que a "outra" parte puxe com a força e argumentos como os das lavadeiras?
AbraçoBeirão/Alentejano
</a>
(mailto:jolmartins@clix.pt)
Anónimo a 22 de Junho de 2005 às 09:48