PIRUÇAS

Maio 30 2004

Acabei de reler, mais uma vez, o Cântico Negro, de José Régio. E cada vez mais me revejo nesta portentosa afirmação do poeta:


                                        "Se vim ao mundo,foi


                                         Só para desflorar florestas virgens,


                                         E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!


                                        O mais que faço não vale nada".


 


Como diz Régio, "Deus e o Diabo é que me guiam, mais ninguem".

publicado por poleao às 19:19

Maio 30 2004
Arquitetura 03.jpg Desde a minha meninice que a imagem de um coreto semelhante a este ficou definitivamente marcada na minha memória. E tudo porque, logo nesse tempo, comecei a gostar de ouvir música, gosto que se foi acentuando até aos dias de hoje. Naquele tempo, logo no primeiro dia das Festas de Verão da minha terra, chegava, manhã cedo, a primeira das quatro ou cinco bandas de música que abrilhantavam os festejos. Percorria, então, a vila, sempre a tocar lindas marchas. À frente, o maestro, garboso e feliz e, à frente dele, o Chelpa, da comissão de festas, ia lançando foguetes, espaçadamente. Eram os cumprimentos à população que acorria às janelas para ver a banda passar. Finalmente, o cortejo parava em frente da Câmara Municipal para a saudação especial ao respectivo Presidente, que descia à rua e cumprimentava efusivamente o Chefe da Banda. À noite, no coreto da vila, iniciava-se então o concerto e o povo da terra e das aldeias vizinhas aglomerava-se em redor do coreto, num silêncio religioso, para ouvir as lindas músicas que a banda tocava. E, no final, vinha sempre a longa ovação a premiar os músicos. O chefe, muito compenetrado, voltava-se, então para o público e agradecia, com reverente vénia. Foi nesse tempo que ouvi, pela primeira vez, a 1812. Ainda hoje tenho, nos meus ouvidos, o som estridente dos sinos e, na alma, a emoção que tudo aquilo me provocava. Nunca mais deixei de ouvir, pela vida fora, a 1812 e, sempre que a oiço, vejo a banda no coreto da minha terra.
publicado por poleao às 17:53

Maio 27 2004

Na sequência do que verificou ontem, a partir da noite, os orgãos de comunicação social falam hoje, privilegiadamente, da victória do FCPORTO na Liga dos Campeões, em futebol. Entretidos com este acontecimento, aliás notável, deixámos um bocadinho em espera outras faces da realidade. Para só citar o Correio da Manhã, vejamos, a traços largos:


-Extraditado ucraniano morre em fuga, no aeroporto de Lisboa, momentos antes de ser entregue às autoridades do seu País.


-Três homens armados com 2 pistolas e 1 caçadeira assaltaram ontem um bar de striptease, em Lisboa.


-Gangs armados "limpam" ourivesarias, na Quinta do Conde, Seixal e Albarraque, Sintra.


-Tribunal de Braga começou a julgar um empresário local, acusado de financiar uma rede tráfico internacional de droga.


-GNR das Caldas da Rainha desmantelou uma rede de tráfico de heroína, em Aliceira, Alcobaça.


-Agressões físicas e verbais a militares da GNR aumentaram 50% no ano passado, só na região centro.


-Acesso ao Supremo Tribunal de Justiça gera queixas. Cinco Juízes e dois Procuradores contra concurso de progressão na carreira.


-Dívida cobrada a tiro, em Mafra.


Depois dos vivas ao Porto, bem merecidos, repito, vamos agora é dar atenção aos outros futebois e contribuir, cada um com a sua quota parte, para que também eles ganhem campeonatos!

publicado por poleao às 19:07

Maio 26 2004

O Porto, pela mão do jovem treinador Mourinho, acaba de se sagrar campeão europeu de futebol, na Alemanha, vencendo, na final, o Mónaco, por 3-0.


Parabens ao Porto, pela victória e pelo brilhantismo com que a conseguiu, depois de, no ano passado, ter ganho, de forma também brilhante, a Taça UEFA.


Como português e também como sportinguista, sinto orgulho pelo feito alcançado, extremamente benéfico para o fufebol nacional, tanto mais porque está à porta o campeonato europeu da modalidade, a disputar proximamente no nosso País.

publicado por poleao às 21:59

Maio 26 2004

Vinda de Roma, em 1561, uma Bula Papal determinou a separação da vila de Montagraço da Mesa do Arcebispado de Evora, unindo-a ao Colégio do Espírito Santo da Universidade de Evora.


No princípio do século XVII, a vila de Sobral de Monte Agraço e o seu reguengo eram pertença da Companhia de Jesus. Quando, em meados deste século, os Jesuitas foram expulsos e os seus bens confiscados, o senhorio do Sobral e o seu reguengo reverteram para a Coroa.


O senhorio da vila é então concedido pela Coroa, em 1771, a Joaquim Inácio da Cruz Sobral, que mandou construir a casa senhorial, o chafariz, o celeiro comunal e o edifício de Câmara. Por sua morte, os seus bens foram herdados por seu irmão Anselmo José da Cruz.

publicado por poleao às 19:40

Maio 24 2004

queiros2.jpg para contar, no seu estilo sibilante, a confusão (para não dizer outra coisa) a que chegou o País. Entre tantas, vou anotar apenas as seguintes situações:


1.Diariamente, os nossos jornais noticiam cada vez mais crimes, de todas as espécies e em todas as paragens. Dantes, a criminalidade concentrava-se apenas nos grandes centros urbanos, sendo poupadas as pequenas cidades e vilas. Hoje, a lava do vulcão atingiu já todas as periferias, por igual, sendo difícil encontrar uma pequena aldeia onde o crime não tenha, entretanto, assentado arraiais. Os tribunais não chegam para tanta tarefa que se lhes exige, a polícia judiciária não tem meios, nem gente, para investigar, de forma minimamente capaz, tudo o que aparece e o ministério público (que nunca deveria ter sido autonomizado da magistratura judicial, na minha opinião) não tem capacidade, nem formação, suficientes para lidar com a catrefa de casos que todos os dias lhe batem na porta. As polícias, mais preparadas para prevenir, não chegam para tudo e, por isso, acabam por prevenir muito pouco. Então o que fazer? Mais tribunais (talvez até às aldeias), mais PJ, mais MP, mais PSP, mais GNR, mais, mais? E depois, como vai ser? Prende-se mais gente, mais gente, mais gente? E onde há cadeias para tudo isso? Ou fica tudo na rua, com algemas electrónicas a chocalhar pelas estradas e ruas?


 2. Para já não falar nos crimes elegantes e bem falantes, agora na moda. Na administração pública, central e local, nas corporações de bombeiros, nas polícias, nas instituições até então mais prestigiadas, na política, que sei eu? Onde é que isto vai parar? Não há operações de "apitos dourados", nem de "sirenes ocultas", nem de Felgueiras, nem do Marco, nem, nem, que cheguem para tudo. Dá idéia que o País está a saque, que é o fartar vilanagem, que é o safe-se quem puder.


3. A cereja no bolo acaba de ser posta pela senhora Ministra das Finanças, ao nomear para Director-Geral das Contribuições um alto quadro não pertencente à função pública, com um vencimento mensal superior 25.000 euros, justificando tal nomeação com o facto de não haver nos quadros públicos ninguém competente para tais funções. Pasmamos com tudo isto, mas ainda mais porque a ministra deu esta justificação publicamente, na cara de todos os quadros superiores da função pública, teoricamente habilitados para o desempenho desse cargo. Isto é: parece que está tudo doido e o País, para chegar à frente na formatura europeia, precisa é de juizo, de muito juizo.

publicado por poleao às 17:14

Maio 23 2004

De 20 de Outubro de 1519 data o Foral de Monte Agraço, concedido por D. Manuel I, como anteriormente assinalei.


Em 1522, o reguengo será doado por D. João III, em nome do seu irmão, o Cardeal D. Henrique (então donatário da vila por ser Arcebispo de Evora), a D. Luís da Silveira, Conde de Sortelha, mas somente em sua vida.


Neste período, já não deveria residir ninguém em Monte Agraço (actual sítio do Salvador), mudando-se os seus habitantes para a aldeia de "Soveral" de Monte Agraço, desconhecendo-se, todavia, as causas dessa mudança.

publicado por poleao às 22:21

Maio 22 2004
Casaram-se hoje, em Espanha, o Príncipe Filipe, filho do Rei, e Letízia, popular apresentadora dos telediários da TVE, até há poucos meses. O casamento foi visto pela televisão por mais de mil milhões de pessoas, numa cobertura considerada das maiores de sempre. Lá estiveram também, naturalmente, os nossos 3 canais. Foi através deles que comecei por ver a reportagem, mas porque em todos se falava mais de vestidos, de chapéus, de maneiras de estar e de pisar, de segurança nos telhados, nos muros, de polícias a pé, a cavalo, etc, etc, e tudo, salvo raras excepções, com muito pobres intervenções de substância e de dicção, interrompidas a cada passo pelas chamadas "bengalas" do hã, hã, hã, acabei por ir para a TVE, onde fiquei até ao fim. As imagens eram as mesmas que passavam nas nossas TVs, mas as intervenções, de estúdio e de rua, não tinham nada a ver com as que se produziam nos canais nacionais. Depois admiramo-nos sempre que eles, os espanhóis, invadem o nosso território, ocupam os nossos espaços e nos substituem vantajosamente. São nossos vizinhos, são nossos "hermanos", são nossos amigos também mas, qualquer dia, passam-nos definitivamente a perna e passarão a ser, sabe-se lá, nossos mentores e nossos patrões. No meu entender, isso só será evitado quando subirmos o nível da qualidade daquilo que fazemos, em todos os campos e sectores.
publicado por poleao às 18:45

Maio 21 2004
Podia ter sido pior a experiência com o "marcador, mas a coisa ainda não está bem, isso é que não está. Por exemplo, não posso dar cor ao que escrevo, fica tudo muito preto, às portas da morte. Ora, nós sabemos que cor é vida!

publicado por poleao às 21:51

Maio 21 2004
Marcadores | BLOGS do SAPO

Vamos ver se esta dos marcadores também funciona. Estamos sempre a aprender!
publicado por poleao às 18:36

TÃO LONGE DO MUNDO E TÃO PERTO DE TUDO
mais sobre mim
Maio 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
18

25
28
29

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO